Estudos Discursivos em Design


Disciplina eletiva | 2º trimestre de 2019

Nível: Mestrado/Doutorado

Aulas: 6a feira . 14h00 às 18h00 . Sala 827

Carga Horária: 45 | Créditos: 3

Professor: Marcos N. Beccari (contato@marcosbeccari.com)

Ementa: Fundamentos teóricos para a investigação crítico-filosófica da esfera discursiva do design, aqui organizada a partir de dois eixos: (1) discursos do design – estudo dos regimes de verdade que instituem o campo; (2) discursos por meio do design – estudo dos efeitos de verdade materializados por artefatos oriundos do universo do design.

Objetivo: Introduzir, no âmbito da pesquisa em design, elementos de análise crítica dos regimes discursivos que (1) circunscrevem o design e que (2) são postos em circulação pelo design.

Estratégia Didático-Pedagógica: Aulas expositivas; leitura e discussão de textos selecionados; debate estruturado em sala de aula.

Sistema de Avaliação: Participação em sala de aula (peso 5) + elaboração de ensaio crítico (peso 5).

HD virtual: https://goo.gl/8nEPmk


Plano de aulas + Leituras


1. Apresentação / Introdução do curso (07/06)

2. Estruturalismo e pós-estruturalismo (14/06)

[Feriado: 21 de junho]

3. Discurso e verdade (28/06)

[Recesso: 01 a 31 de julho]

4. Regimes e efeitos de verdade (09/08)

  • FOUCAULT, M. A verdade e as formas jurídicas (Conferência 1). Rio de Janeiro: NAU, 2002, p. 7-27.
  • BECCARI, M. N. Estudos discursivos em design: fundamentos teóricos. Grupo de Estudos Discursivos em Arte e Design, 2019.
  • BECCARI, M. N. Terreno baldio: a atopia contemporânea. In: ROZESTRATEN et. al. (orgs.). Imaginários intempestivos: arquitetura, design, arte & educação. São Paulo: FEUSP, 2019, p. 129-143.

5. Arqueologia e epistéme (16/08)

  • FOUCAULT, M. As palavras e as coisas: uma arqueologia das ciências humanas (Prefácio). São Paulo: Martins Fontes, 1999, p. IX-XXII.
  • FOUCAULT, M. Arqueologia do saber (excerto). Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2014, p. 214-219.

6. Discursos do design (23/08)

7. Genealogia e dispositivos (30/08)

  • FOUCAULT, M. História da sexualidade 1: A vontade de saber (excertos). Rio de Janeiro: Graal, 1999, p. 88-93 / 127-149.
  • BECCARI, M. N.; ALMEIDA, R. de. A morte infinita: Uma breve genealogia de Drácula. In: ____. (orgs.) O mito de Drácula: imaginário & educação. São Paulo: FEUSP, 2019, p. 171-187.

8. Discursos por meio do design (06/09)

9. Orientação de trabalhos (13/09)

10. Encerramento do curso (20/09)


Bibliografia Básica:

  • BECCARI, M. N. Discourse and place of speech in graphic/information design: Some philosophical considerations. Information Design Journal, v. 24, n. 1, p. 67-79, 2018.
  • FOUCAULT, M. A ordem do discurso. São Paulo: Loyola, 1996.
  • ____. História da sexualidade 1: A vontade de saber. Rio de Janeiro: Graal, 1999.
  • LUPTON, E.; MILLER, A. Design, escrita, pesquisa: a escrita no design gráfico. Porto Alegre: Bookman, 2011.
  • NIETZSCHE, F. Sobre verdade e mentira no sentido extramoral. São Paulo: Hedra, 2007.
  • ZIBEL-COSTA, C. Além das formas: Introdução ao pensamento contemporâneo no design, nas artes e na arquitetura. São Paulo: Annablume, 2010.

Bibliografia Complementar:

  • BECCARI, M. N. Terreno baldio: a atopia contemporânea. In: ROZESTRATEN, A.; BECCARI, M.; ALMEIDA, R. de (orgs.). Imaginários intempestivos: arquitetura, design, arte & educação. São Paulo: FEUSP, 2019, p. 129-143.
  • BERGER, J. Ways of Seeing. London: Penguin Classics, 2008.
  • CRARY, J. Suspensões da percepção: atenção, espetáculo e cultura moderna. São Paulo: Cosac Naify, 2013.
  • DORRESTIJN, S. The design of our own lives: technical mediation and subjectivation after Foucault. Enschede: Universiteit Twente, 2012.
  • FOSTER, H. O retorno do real: a vanguarda no final do século XX. São Paulo: Cosac Naify, 2014.
  • ____. O complexo arte-arquitetura. São Paulo: Ubu Editora, 2017.
  • FOUCAULT, M. As palavras e as coisas: uma arqueologia das ciências humanas. São Paulo: Martins Fontes, 1999.
  • ____. A verdade e as formas jurídicas. Rio de Janeiro: NAU, 2002.
  • ____. Arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2014.
  • ____. Microfísica do poder. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz & Terra, 2018.
  • GRUSZYNSKI, A. C. A Imagem da Palavra. Teresópolis: Novas Idéias, 2007.
  • KIM, H, H. (Ed.). Graphic design discourse: Evolving theories, ideologies, and processes of visual communication. New York: Princeton Architectural Press, 2018.
  • LATOUR, B. Um Prometeu cauteloso? Alguns passos rumo a uma filosofia do design (com especial atenção a Peter Slotedijk). Trad. Daniel B. Portugal e Isabela Fraga. Agitprop: revista brasileira de design, São Paulo, v. 6, n. 58, jul./ago. 2014.
  • MACHADO, R. Foucault, a ciência e o saber. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2009.
  • MARGOLIN, V. (Ed.). Design Discourse: History, Theory, Criticism. London/Chicago: The University of Chicago Press, 1989.
  • PAIXÃO, H. P. Resistência e poder no dispositivo da moda. Tese (Doutorado Estudos Linguísticos). Goiânia: Faculdade de Letras da Universidade Federal de Goiás, 2017.
  • SOUZA, L. A. F. de; SABATINE, T. T.; MAGALHÃES, B. R. de. Michel Foucault: sexualidade, corpo e direito. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2011.
  • WILLIAMS, J. Pós-estruturalismo. Petrópolis: Vozes, 2013 (Série Pensamento Moderno).